Fortaleza Esporte Clube. FEC. Ativo pela última vez: Nunca
Não fez Login [Login - Cadastro]
Descer para o final da página

Enviar resposta
Quem pode enviar mensagens? Todos os usuários poderão enviar novos tópicos e Todos os usuários podem responder.
Nome de usuário:   Precisa se cadastrar?
Senha:   Esqueceu a Senha?
Assunto: (opcional)
Ícone:  

Modo Formatação:
Normal
Avançado
Ajuda

Inserir texto em negrito Inserir texto em itálico Inserir texto sublinhado Inserir texto centralizado Inserir link Inserir link de email Inserir imagem Inserir texto formatado em código Inserir texto em citação Inserir lista
Mensagem:
HTML está Desligado(s) (Off)
Os Smilies estão Desligado(s) (Off)
Código BB está Desligado(s) (Off)
Código [img] está Desligado(s) (Off)

Desabilitar Smilies?
Usar assinatura?
Desligar o BB Code?
Receber email quando houver respostas?
    

Rever Tópico
guaramiranga

 enviada em 19-11-14 em 09:58 AM
O pai da garotada dá adeus. Após 69 anos de vida, dos quais 46 dedicados ao Fortaleza, Jurandir Branco, maior descobridor de talentos da história do clube entrou no Pici na tarde de ontem pela última vez, para ser velado por família, amigos, jogadores que descobriu e todos que mantém relaç?o de afeto com o Tricolor. No olhar dos presentes que acompanharam a chegada do corpo, havia um misto de gratid?o e saudade. A causa da morte n?o foi divulgada ainda, mas Jurandir lutava contra um câncer.

O corpo será enterrado hoje. ?s 8h30min, o cortejo sairá da sede administrativa, no Pici, onde seguirá para S?o Gonçalo do Amarante, a 63 km de Fortaleza, onde será sepultado.

Aquele que em 1979, aos 32 anos de idade, já era chamado de “o olho biônico do Fortaleza” pelo O POVO (veja fac-simile ao lado), deixou admiradores e seguidores. Dentre eles, está o atual coordenador das categorias de base do Le?o, Jorge Veras. Descoberto por Jurandir em 1977, fez sucesso no Gr?mio-RS e no Criciúma-SC. “Esse tempo todo eu só fiz aprender com ele. É motivo de tristeza saber de seu falecimento, mas ele deixa uma história brilhante no futebol cearense”, afirma. Trajetória que Veras dá continuidade com os meninos da base do Le?o.

O técnico Flávio Araújo, com passagens por Icasa e Fortaleza, diz que deve a ele muito do que sabe na profiss?o que exerce. “Ele era muito determinado na execuç?o de seu trabalho, isso foi muito importante para todos nós que trabalhamos com ele, que hoje somos treinadores e preparadores”, comenta.

Jorge Veras complementa: “Ele me ensinou sobre responsabilidade, profissionalismo, pedia que déssemos o máximo em busca de nosso melhor”.

Clodoaldo, o Capetinha, externou sua tristeza nas redes sociais. “Se cheguei onde cheguei, devo a voc?, Jura. Que Deus o receba de braços abertos”, postou. Já o massagista Manuel de Almeida, com quase 40 anos de Pici, disse que perdeu seu melhor amigo na lida diária: “Foi o primeiro funcionário do clube com quem tive amizade, sempre estivemos juntos. Eu sempre desabafava com ele, e ele, comigo”.

Subir para o início da página